segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Defesa Civil estadual monitora áreas atingidas por temporais



A semana começou com temporais e chuvas fortes em todas as regiões do Paraná. De acordo com o Simepar, o volume de chuvas acumulado desde a tarde do domingo (29) é extremamente elevado, principalmente no Oeste do Estado. Os maiores volumes de precipitação ocorreram em Toledo (152 mm), Cascavel (213,4 mm) e Santa Helena (260,2 mm). Em Cascavel, uma adolescente morreu afogada em um rio próximo ao centro da cidade.

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil faz o monitoramento da situação em todos os municípios parananenses através do Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cegerd), instalado no Palácio das Araucárias, em Curitiba. O chefe Operacional do órgão, capitão Romero Nunes da Silva Filho, afirmou que a atenção é maior no momento porque ainda há previsão de chuvas para os próximos dias.

“A gente vem de um período de chuvas, principalmente neste fim de semana. O que desperta a atenção é o acumulado de chuvas no Estado, em especial no Oeste”, disse. “Nossa atenção agora é acompanhar a possibilidade de outros eventos, como alagamentos e deslizamentos. Começamos um monitoramento mais pontual, principalmente nas regiões já mapeadas como áreas de deslizamento”, explicou o capitão Romero.

De acordo com o boletim atualizado às 17h30 desta segunda-feira (30) pela Defesa Civil, subiu para 4.007 o número de pessoas afetadas (danos nos imóveis ou falta de luz, por exemplo) pelos temporais em 21 municípios. Em Cambará, no Norte Pioneiro, 160 casas foram danificadas e uma destruída, afetando 553 pessoas; 25 pessoas do município permanecem desabrigadas. Em todo o Estado, 32 pessoas ficaram desabrigadas, ou seja, tiveram que sair de suas casas e ainda não foram para abrigos ou casas de outras pessoas.

Porém, a previsão é que o número de afetados aumente, já que a Defesa Civil continua acompanhando os municípios. “Ainda não houve pedidos de ajuda humanitária, mas a situação tende a evoluir”, afirmou o capitão Romero. “Estamos em contato com os municípios e pedimos aos coordenadores municipais de Defesa Civil fazerem o monitoramento das regiões mais críticas e das encostas. Caso haja risco de deslizamentos ou de outros eventos, vamos emitir um alerta à população”, explicou.

ALERTA – A instalação do Centro de Gerenciamento de Riscos e Desastres auxilia a Defesa Civil na tomada de decisões em situações como a que ocorre agora. O resultado prático é o aumento da emissão de alertas à população. Desde meados de outubro, os alertas de eventos meteorológicos severos são disparados a todo Paraná por SMS. Para se cadastrar, é só enviar um SMS para o número 40199 com o CEP de sua residência ou de outros lugares de interesse.

SEGUE INSTÁVEL – O tempo segue instável nesta segunda-feira (30) em todo o Paraná. De acordo com o Simepar, há previsão de chuvas nas diversas regiões do Estado a qualquer hora do dia, com a possibilidade de precipitações fortes, acompanhadas de raios e de rajadas de ventos fortes. Os temporais mais severos acontecem nas regiões Oeste e Norte do Estado. A instabilidade ocorre devido ao sistema de baixa pressão sobre o Paraguai aliado ao avanço de uma frente fria pelo Oceano, no Sul do País.

A instabilidade no Paraná ocorre devido ao fluxo de umidade e de calor vindo da Região Amazônica para o Sul do Brasil, Paraguai e Argentina, associado à intensificação de uma área de baixa pressão entre o Norte da Argentina e o Paraguai. Essas condições favoreceram a formação de tempestades no Paraná, principalmente nas regiões Oeste, Sudoeste, Centro-Oeste e em toda a faixa Norte do Estado.

Fonte: AEN

Nenhum comentário:

Postar um comentário