sábado, 8 de abril de 2017

Explosivos apreendidos em ação contra roubo a bancos poderiam destruir até 25 agências, diz PF



Explosivos encontrados em uma chácara de Alvorada do Sul, no norte do Paraná, usada por uma quadrilha investigada por roubos a bancos, poderiam destruir mais de 20 agências, segundo análise preliminar dos peritos. “A informação é de que a quantidade de explosivos ali daria pra gerar a explosão de até 25 agências bancárias”, afirmou o delegado da PF de Maringá, também na região norte, Alexander Noronha Dias.

O local foi encontrado após ação da Polícia Federal (PF), na manhã desta sexta-feira (7), que terminou com a morte de seis suspeitos no Rio Paranapanema. Uma grande quantidade de munição para armas longas também foi encontrada na chácara.

Como os explosivos estavam montados, o Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Especiais da PM de Curitiba foi chamado.

Durante toda a tarde desta sexta equipes da PF e da Polícia Militar (PM) do Paraná, além de peritos e bombeiros, vasculharam as margens do Rio Paranapanema, em Alvorada do Sul. De acordo com a polícia, a quadrilha que estourava caixas eletrônicos no Paraná e no interior de são Paulo já estava sendo monitorada.

Segundo Dias, os assaltantes agiam sempre da mesma forma: chegavam de madrugada em cidades pequenas, com pouco policiamento, e parte da quadrilha atirava contra o destacamento da PM e outra parte ia para a agência bancária para realizar o roubo.

Para prender os criminosos foi montada uma operação. A PF ficou sabendo que a quadrilha explodiu caixas eletrônicos na cidade de Cruzália, no interior de São Paulo e, como de costume, usaria o rio para fugir. Quatro policias federais passaram a madrugada no local e, pala manhã, houve o confronto.

Conforme a PF, sete criminosos estavam em dois barcos. Uma das embarcações foi atingida e acabou afundando. Segundo a polícia, seis assaltantes morreram e um conseguiu escapar.

O delegado federal explicou que foi possível recuperar dois malotes, que tinham a identificação das agências bancárias de Cruzália, confirmando que o grupo foi responsável pelo crime na cidade.

O secretário de Segurança do Paraná Wagner Mesquita informou que unidades aéreas, como o helicóptero da Polícia Civil e equipes da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) ajudam no cerco para tentar encontrar o foragido. O Corpo de Bombeiros trabalha no resgate dos corpos dos suspeitos mortos e na recuperação do material que afundou no rio.

“É necessário uma integração tanto na investigação, quanto, eventualmente, também depois na execução de uma operação policial em que todos os esforços devem ser somados, como por exemplo para agora localização e captura desse indivíduo que está foragido”, declarou Mesquita.

Fonte: G1 - PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário