sexta-feira, 28 de abril de 2017

Estado reforça ações para proteção contra riscos de desastres


O Governo do Paraná anuncia mais um reforço nas ações para proteger a população de consequências de desastres naturais. Nesta terça-feira (25), o governador Beto Richa inaugurou o Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cegerd), que fará o monitoramento contínuo de todo o Estado, com base em informações de 16 órgãos do governo estadual, prevenindo perdas que podem ser provocadas por intempéries. Instalado no Palácio das Araucárias, em Curitiba, o Cegerd recebeu investimento de R$ 4,6 milhões.

“Desde 2011, quando o Paraná foi afetado por fortes chuvas, o governo estadual já investiu R$ 70 milhões na área de proteção e defesa civil, sendo que R$ 44 milhões estão sendo aplicados”, disse o governador.

Os aportes são para o Programa de Fortalecimento e Gestão de Risco de Desastres, criado logo após as enxurradas que atingiram o Litoral do Paraná no início de 2011. 

Os recursos foram destinados à modernização da infraestrutura de monitoramento e previsão hidrometeorológica, mapeamento das áreas de risco, obras de infraestrutura nos municípios e desenvolvimento de sistemas de gestão e redução dos riscos de desastres. 

“São investimentos e ações para garantir a proteção das famílias paranaenses. Estamos conseguindo dar respostas rápidas a desastres como enchentes, inundações e até tornados, que cada vez acontecem com mais frequência aqui,” acrescentou o governador. 

ONU - Hoje, o Paraná é reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) pelo melhor sistema de defesa civil da América Latina. Para o coordenador executivo da Coordenadoria Estadual de Proteção Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Edemilson de Barros, o Centro Estadual de Gerencialmente de Riscos e Desastre representa mais um salto de qualidade dentro do processo de evolução nesta área, no Paraná. 

TECNOLOGIA E PESSOAL - O Cegerd, que fica junto à Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, conta com estrutura tecnológica e de pessoal para gestão de desastres no Estado, tanto em pequena quanto em grande escala. O espaço foi adequado para monitoramento de condições meteorológicas severas, possui salas de videoconferência, salas de comando de incidentes e de descompressão, centro de imprensa e um conjunto de telefonia totalizando 160 linhas. 

“Na ocorrência de incidentes, desta sala de gestão temos condições de reunir e falar simultaneamente com todas as regionais distribuídas no Paraná, fazer a gestão da localidade atingida e analisar como agir”, explicou o chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Adilson Castilho Casitas. 

NACIONAL - Para o diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, Élcio Barbosa, o Paraná se destaca na área de defesa civil. “É um estado avançado, com sistema bem diferenciado. Este novo centro, por exemplo, foi muito bem montado e tem uma estrutura perfeita, já conectada com o sistema do governo federal”, disse. “O que o Estado vem fazendo cresce aos olhos, principalmente em um momento de crise por qual passa o País”, finalizou.

PRESENÇAS - Participaram da solenidade os secretários de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antônio Carlos Bonetti; da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; do Planejamento e Coordenação Geral, Cyllêneo Pessoa Pereira Junior, e de Assuntos Estratégicos, Flávio Arns; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Maurício Tortato; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Juceli Simiano Junior; o chefe do Estado Maior do comando do Corpo de Bombeiros, coronel Fábio Mariano de Oliveira; o presidente da Celepar, Jacson Carvalho Leite; o presidente do Simepar, Eduardo Alvim Leite; o representante do Banco Mundial, Davide Zucchini. 

Prevenção, conhecimento e articulação 

O programa de Fortalecimento e Gestão de Risco de Desastres é coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e integra órgãos como a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, Simepar, Instituto das Águas do Paraná, Instituto de Terras, Cartografia e Geociências do Paraná (ITCG).

São três eixos de atuação: fortalecimento da infraestrutura de prevenção, com aquisição de radares, bases meteorológicas e equipamentos; investimento em conhecimento, que inclui o mapeamento das áreas de risco e revisão cartográfica do Estado; e a articulação institucional, com a ampliação das políticas de Proteção e Defesa Civil e a criação do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (Ceped).


Todos os municípios têm planos de contingência

O Paraná é o único Estado do Brasil em que 100% dos municípios têm um Plano Municipal de Contingência de Proteção e Defesa Civil. “Hoje temos mapeadas mais de mil áreas vulneráveis a desastres. A defesa civil passou a ser um grande sistema”, disse tenente-coronel Edemilson de Barros

Os planos contam com o mapeamento das áreas de risco e todas as informações necessárias para garantir a resposta em casos de desastres - como os locais designados para receber as pessoas desabrigadas e os recursos existentes para o atendimento à população.

Todos os municípios paranaenses também têm acesso ao Sistema Informatizado da Defesa Civil do Estado, que facilita a construção do plano de contingência e o preenchimento dos documentos necessários para buscar recursos de outras esferas de governo.

Fonte: www.pr.gov.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário